segunda-feira, novembro 24, 2008

Professores da Escola D. Dinis aprovaram moção contra actual Modelo de Avaliação

Reunidos em plenário na passada quinta-feira, os docentes com 3º Ciclo da Escola Secundária D. Dinis aprovaram por unanimidade uma moção através da qual reiteram o seu “total desacordo” face ao actual modelo de avaliação dos professores. O documento, dirigido à ministra da Educação, seguiu esta segunda-feira também para o presidente da República, para o primeiro-ministro e para outros organismos e responsáveis políticos.

Na referida moção, os professores da Secundária D. Dinis dão conta que vão “suspender de imediato a sua participação neste processo de Avaliação de Desempenho Docente, não entregando os objectivos individuais previstos no decreto Regulamentar” de 10 de Janeiro.

O modelo “imposto” pelo Ministério da Educação, não “reflecte objectividade, imparcialidade, coerência, rigor e valorização profissional”, alegam os professores do referido estabelecimento escolar que o caracterizam ainda como “demasiado burocrático”. O acréscimo de “trabalho burocrático a que os docentes estão sujeitos” não se “traduz em qualquer tipo de benefício, antes relega para segundo plano o que é verdadeiramente essencial”, ou seja, o “processo de ensino-prendizagem”.

Para além da carga burocrática associada ao processo de avaliação, são vários os argumentos usados pelos professores da Secundária para suspender a sua participação neste processo de avaliação. Consideram, por exemplo, que o modelo está baseado “na divisão hierárquica da carreira dos professores em duas categorias”, pelo que consideram que o mesmo “deteriorará as boas relações profissionais e pessoais entre os professores condenando ao desaparecimento a partilha e a cooperação”.

A moção foi aprovada pouco antes da ministra Maria de Lurdes Rodrigues anunciar em conferência de imprensa alterações ao modelo de Avaliação, mas as mesmas parece não convencerem os professores da D. Dinis que mantêm o documento fazendo-o chegar esta segunda-feira a diversos responsáveis políticos. Ao que o Entre Margens apurou, mais de 80 professores assinaram a moção.

2 comentários:

Paulo Gonçalves disse...

Deviam estar preocupados , era com a situação dos alunos , anular uma matricula ao fim de um periodo escolar e muito triste , não concordarem com as normas europeias , é muito triste quando os meus dois filhos ficaram hoje sem matricula ( Sem escola)qualquer esclarecimento o meu contacto 935778521
Ass. Paulo Gonçalves

Paulo Gonçalves disse...

O comenário anetrior faltava divulgar o nome da escola , que é Escola secundária Dom Dinis em Lisboa.
Ass.Paulo Gonçalves