segunda-feira, maio 03, 2010

Deputados da Assembleia da República criticam falta de ligação a Santo Tirso da variante à EN14



O caso é, dizem os sociais-democratas, “paradigmático”, e numa altura em que tanto se fala de grandes investimentos públicos, o PSD vai usá-lo como exemplo. Em causa está a construção da variante à Estrada Nacional 14 e o facto de a mesma não contemplar qualquer ligação ao concelho de Santo Tirso. “No momento em que se discutem as grandes obras - o TGV, o aeroporto e algumas concessões rodoviárias - parece-nos inadmissível estarmos hoje num concelho que pode vir a ser atravessado pela variante à Estrada Nacional 14 sem que esta contemple qualquer ligação a Santo Tirso”. Assim o disse Jorge Costa (na imagem, à esquerda) esta tarde, em Monte Córdova, no final de uma visita de trabalho a Santo Tirso levada a cabo pelos deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral do Porto.

A obra, tal como está projetada, e ainda segundo Jorge Costa, “põe em causa” a “competitividade” e a “atratividade” do concelho, mais ainda, porque “ao não contemplar nenhuma ligação ao concelho, deixa de fora as suas zonas industriais”. Se levada a cabo de “forma diferente”, a obra poderia ajudar ao desenvolvimento económico e à criação de emprego, defende o deputado. De resto, a mesma traduz “o conceito de obras de proximidade”, que na opinião do PSD, são as que “podem, de facto, criar atividade económica, e não as que o governo tem defendido, que só vão criar endividamento”.

Nesta visita a Santo Tirso, a saúde, as acessibilidades e o desemprego estiveram na ordem do dia detendo-se Aguiar Branco nalguns indicadores, como o facto de cerca de 70 por cento dos desempregados terem mais de 35 anos. “As políticas de emprego não se têm revelado ajustadas”, afirmou o deputado que sublinhou depois a distância que separa as promessas de Sócrates e o que depois acontece. Os 150 mil empregos prometidos pelo primeiro-ministro “ao fim de cinco anos de mandato, traduziram-se em 150 mil novos desempregados”. E segundo o mesmo deputado, Santo Tirso também tem o seu exemplo de promessa anunciada, mas não cumprida, pelo governo: “a promessa, com a construção do call center, de criar mil e 200 novos empregos não se verificou, apenas [foram criados] cerca de 400”.

7 comentários:

Anónimo disse...

é verdade. atão castro fernandes, onde tão os 1.200 empregos da PT?

Anónimo disse...

Olha o Alírio Cancelas ! Não sabia k ele tb era deputado da Assembleia da República !!!Então era isso k ele andava a fazer quando estava ausente do Centro de Emprego !?...

Anónimo disse...

tá bem, tá bem. lá tão vocês com o cancelas e com as ausências. que interessa isso aos tirsenses? digam lá onde tão os 1.200 empregos da PT mas é.

Anónimo disse...

Para aqueles que fazem do Alirio o seu objectivo de vida, fiquem a saber que a sua condição de vereador lhe permite ausentar-se do Centro de Emprego até 32 horas por mês para poder exercer as suas funções. Enquanto vereador era expectável que estivesse presente numa visita de deputados, por muito que isso "chateie" alguns. Tenho pena desta genta que se deleita a dizer mal. Mas é esta gente que rodeia o Castro Fernandes, que podemos fazer???

Anónimo disse...

Pois é!...e depois das "ausências legais" do Centro de Emprego, aproveita para perguntar pelos ditos "empregos" que o PC prometeu...Sendo ele funcionário do "Centro de Emprego" não seria também "expectável"que ajudásse a criar alguns? Pois...é mais fácil criticar do que fazer...com esta assiduidade, duvido que contribua muito para a resolução do problema...

Anónimo disse...

Convém esclarecer que esta fotografia retrata uma iniciativa que aconteceu pelas 18.00 horas, ou seja, depois do horário de trabalho do Alirio Canceles. Ó Alirio és o maior, esta gente como não tem argumentos para exercer o contraditório procura intimidar-te. Nós sabemos que tu não te deixas condicionar. FORÇA E CORAGEM: ESTAMOS CONTIGO!

Luis Filipe disse...

Santa ignorância! Os Centros de Emprego não criam empregos, limitando-se a disponibilizar aos seus utentes as oportunidades que as empreasas lhes fazem chegar.